Editoriais

A adoção de medidas relativamente simples, pode reduzir a vulnerabilidade de sua organização ao risco de fraude.
Publicada em 31/01/2014


Eventos de fraude têm afetado corporações em todo o mundo, e segundo a ACFE – Association of Certified Fraud Examiners, estes eventos tem custado em média para as organizações 5% de suas receitas. Uma perda desta envergadura pode ser devastador para a organização, principalmente para as pequenas e médias empresas, por isso, é de nossa convicção que os empresários, executivos e gestores devem ter em sua agenda para 2014 a avaliação e implantação de atividades para a prevenção de fraudes. Recomendamos que as organizações tomem algumas medidas, simples, mas ao mesmo tempo importantes para a redução de suas vulnerabilidades. A primeira medida é conhecer, através de um “Check Up”, as vulnerabilidades existentes em sua organização. É importante observar que cada organização tem suas peculiaridades, por isso as vulnerabilidades e deficiências de controle podem, e irão, variar de uma entidade para outra, de forma que esta avaliação deve ser conduzida de maneira criteriosa por um especialista. A segunda medida é criar procedimentos para que colaboradores possam relatar atividades suspeitas por partes de clientes, fornecedores e também de algum colega de trabalho que não venha observando as melhores práticas de gestão adotadas pela organização. Adotar um código de ética para os colaboradores é a terceira medida. A definição de padrões consistentes para promover o comportamento ético por parte de toda a organização é de extrema importância, pois, é uma mensagem clara da alta administração de que fraudes e/ou irregularidades não serão toleradas seja ela ocorrido em qualquer nível. Cada colaborador e também prestadores de serviços devem ler e assinar que tem ciência deste código. E por último, independentemente do tamanho da empresa, deve haver diretrizes formais para a contratação de novos colaboradores, com procedimentos adequados de avaliação, inclusive da condição de adequação deste novo colaborador ao programa de melhores práticas e ética da corporação. Vejam que são quatro medidas relativamente simples, mas que em muitas organizações são renegadas ao segundo ou terceiro plano, contudo em épocas de economia difícil atitudes como estas podem ser a diferença entre a perenidade ou não da organização. Nós da CrossOver Consulting & Auditing, estamos preparados para apoia-los neste processo de prevenção a fraude, seja sua empresa do tamanho que for. Consulte-nos.